• Cards Payment & Identification is part of the Informa Markets Division of Informa PLC

    This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

Segurança

Pesquisas revelam que 2017 é o ano do ciberataque. Saiba quem serão os mercados alvos!

De acordo com pesquisa da consultoria em gestão de negócios, A.T. Kearney, a escala de ciberataques vai aumentar em 2017. Os alvos mais prováveis são países com economias conectadas globalmente. Estudo indica ainda que com crescimento da IoT (Internet das Coisas) e maior quantidade de domicílios conectados, as vulnerabilidades também aumentam. A análise da empresa lembra que final de 2016, sites como Twiter, Amazon, Netflix e Paypal, sofreram ataques. Ainda segundo o relatório da A.T.Kearney, os principais alvos desses ataques serão os serviços de fornecimento de eletricidade.

Simultaneamente à divulgação desse estudo da A.T. Kearney, a consultoria de tecnologia Indra informou que o número de ciberataques registrado anualmente está crescendo exponencialmente em todo o mundo. Hoje, grande parte das empresas e organizações já sofreu incidentes de cibersegurança em algum momento – este aumento é especialmente relevante em infraestruturas críticas.

Segundo a Indra, a maioria das empresas demora uma média de 200 dias para detectar estes ataques, tempo ao qual se somam os 40 dias que em média necessitam para neutralizar a ameaça. Tudo isso se materializa em perdas milionárias, que chegam a serem estimadas em 400.000 milhões de dólares em todo o mundo. Além de afetar diretamente a conta de resultados da empresa, estas falhas em segurança afetam a confiança dos clientes, impactando no prestígio da empresa e prejudicam a relação com fornecedores.

Além das informações sobre ciberataques, a Indra divulgou que tem reforçado a cibersegurança na gestão de tráfego aéreo. A empresa tem realizado simulações de ciberataques em centros de controle aéreo. A proposta é detctar vulnerabilidades nos sistemas destes centros de forma antecipada, reduzindo a probabilidade de que sofram ataques, e estabelecendo os planos de proteção, mitigação e correção se necessários.

A unidade de transformação digital da Indra, Minsait, realizou provas de penetração, simulando ciberataques a sistemas de tráfego aéreo de última geração, monitorando-os desde seu centro de cibersegurança i-CSOC de movo a verificar a segurança destas tecnologias. Segundo a empresa, isso garante que os sistemas são seguros antes que sejam implantados em centros de controle de tráfego aéreo e aeroportos.

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *