• Cards Payment & Identification is part of the Informa Markets Division of Informa PLC

    This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

Tendências

E-commerce B2B cresce, mas precisa de investimento constante para se manter

Nem mesmo a desconfiança dos mais conservadores consegue frear o avanço das compras B2B no e-commerce nacional. A prova disso aparece em dois dados na 18ª edição Pesquisa FGV-EAESP de Comércio Eletrônico no Mercado Brasileiro. Em 2015, mesmo com a influência negativa da crise econômica, esse tipo de transação cresceu 2,83% e representou 76,18% do valor do mercado total, num comparativo a 2014. Na última década, o volume de transações entre empresas subiu 128%. Não deixe, porém, a empolgação levar ao comodismo. Nesse caminho ainda cabem investimentos para a consolidação nas relações negócio-a-negócio.

Colocar no ar um e-commerce com difícil usabilidade, sem compatibilidade com dispositivos móveis, com pouco apelo visual ou sem uma boa equipe de atendimento por trás não atende o mercado, considera Nei Tremarin, CMO do Mercado Eletrônico. “Os usuários de negócios são cada vez mais omnichannel e precisam ser fidelizados assim como os consumidores do varejo. Investir no user experience é garantir que seus consumidores voltarão ao seu site sempre que precisarem.”

Usabilidade, compatibilidade com dispositivos móveis, apelo visual ou equipe de atendimento ajudam a determinar o sucesso de um e-commerce

Assim, profissionais de mercado têm seguido a tendência B2C de buscar os canais digitais para realizar suas compras. Isso é muito positivo, pois dá a chance de trabalhar em duas frentes: conquistar novos clientes e ampliar os contratos existentes. Estudo da Forrester Research mostra que 38% dos clientes B2B que migraram para o e-commerce são mais aptos a fazer novas compras.

Pesam nessa decisão fatores práticos como conveniência, conforto, economia de tempo e facilidade na aquisição. Mas isso só acontece se o comprador tiver uma boa experiência, pondera Tremarin. Segundo o especialista, assim como nas relação negócio-a-consumidor, os clientes não retornam a lojas em que tiveram dificuldades.

Empresas que passam a investir com excelência no comércio eletrônico tornam-se mais competitivas pois reduzem custos com impressão de catálogos, com viagens de prospecção e com deslocamento para novas vendas. Além disso, têm a possibilidade de criar um marketplace, firmando parcerias com plataformas que reúnem diversos fornecedores em um único site, o que aumenta a visibilidade e, por consequência, as vendas do e-commerce.

tendências e-commerce

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.